Colman McCarthy

O Ensino da Paz a partir de “The Class of Nonviolence”, de Colman McCarthy

10057363-mccarthy-speaks-at-cate-school

Confesso que a primeira postagem seguida às respectivas apresentações do blog e seu modus operandi seria destinada às atentas discussões que tem sido realizadas a propósito do Projeto de Novo Código Penal, de iniciativa do Senado Federal (que ficará para depois), no entanto, me ocorreu que seria muito mais interessante (e necessário) iniciarmos com um aporte mais robusto, uma contribuição pautada no ensino da paz (peacemaking).

Para quem ainda não conhece, Colman McCarthy é um norte-americano jornalista, professor, escritor, progressivista, jornalista, anarquista e pro um longo tempo foi ativista da paz, e foi diretor (1969 a 1997) do Center for Teaching Peace – entidade sem fundos lucrativos voltada para a implantação do ensino da paz em espaços educacionais –, em Washington D.C. Escreveu sobre política, religião, saúde, educação, pobreza e ensino da paz nas colunas do The Washington Post. Assim, o exercício de seu mister, ficou conhecido pelas grandes agências como “a man of profound spiritual awareness” (Smithsonian), isto é, o homem com profunda consciência espiritual (tradução livre), “the liberal conscience of The Washington Post” (Washingtonian), a consciência liberal do The Washington Post (tradução livre).

Segundo dados da web, a exemplo do Wickipedia (http://en.wikipedia.org/wiki/Colman_McCarthy) e do The DiamondBlack (http://www.diamondbackonline.com/news/local/article_98935420-1750-11e2-941a-001a4bcf6878.html), desde 1982, veio ensinando cursos pautadas na não-violência (nonviolence courses) e na literatura da paz (peace literature) em diversas universidades e escolas de renome, dentre as quais é possível destacar George University Law Center, American University, University of Maryland, The Washington Center for Internships, Wilson High Schol, Bethesda-Chevy High School, entre outras.

Em 25 anos, cumulou aproximadamente 7.000 alunos em salas de aula.  Os títulos de suas lições variavam entre “How To Be a Peacemaker” e “Nonviolence In a Time of War”. Foi premiado com o “Peace Abbey Courage of Conscience Award”, em Sheborn, Massachusetts, além do “Alicia Patterson Journalism Fellowship”, pelas grandes contribuições educacionais a Garrison elementary school em Washington D. C.

McCarthy crê na possibilidade de educamento social a partir de uma cultura da paz e da não-violência e, para ele, o ensino da paz deveria ser incluído como matéria fundamental no ensino primário, de modo que então questiona: “If peace is what every government of earth says it seeks and if peace is the yearning of every heart, then why aren’t we studying it and learning it in schools?”. A inquietação está incluída na obra The Class of NonViolence, desenvolvida por ele a partir das atividades do Center of Teaching Peace (http://salsa.net/peace/conv/), o qual compila, 48 ensaios, em 8 lições, incluindo textos seus e de outros grandes pensadores pacifistas, com destaque para Mohandas Gandhi.

Assim, logo na introduction (p. 6), problematiza: Students are hungry to learn nonviolence. They understand it is much more than a noble ideal, it is also a basic survival skill. Learning nonviolence means that we dedicate our hearts, minds, time and money to a commitment that the force of love, the force of truth, the force of justice and the force of organized resistance to corrupt power is always more effective, moral and enduring than the force of fists, guns, armies and bombs”.

McCarthy pensa que a incorporação efetiva da paz e sua aplicação, após a leitura das 8 lições, poderá ocorrer a partir da cumulação entre os 4 A’s: 1) Awareness (conscientização); 2) Acceptance (aceitação); 3) Absorption (absorção); e, 4) Action (ação). A conscientização é o estágio final, no sentido de que se você se mover e aceitar as verdades propostas pelo estudo de tais lições e absorvê-las para si, para seu coração e alma (palavras do autor), então você estará pronto para agir. Isto destacará o nível de suas atitudes e para o que você estará preparado. O resultado final de tais primados, frise-se, é a awareness.

Assim, não tem como não reconhecer a validez das contribuições de McCarthy pela busca da construção de um mundo melhor. É alguém, segundo penso, no qual devemos nos inspirar e debruçar um pouco de nosso tempo. Eu mesmo ainda não terminei de ler todas as lições, no entanto, desde já posso recomendá-las e, para além de uma reflexão científica ou dogmática hermeticamente fechada, será possível flexionar um outro olhar, um olhar do outro. Um olhar livre.

Para todos, The Class of Nonviolence disponível em PDF: 

Anúncios